quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Reunião Fevereiro/2016

REDE BUTANTÃ - 03/Fevereiro/2016
CASA DO SERTANISTA

PRESENTES: Roberta – CCA Gracinha, Roldão – OCDC, Cades e Gazeta Cidadã, Cacildo –
Gazeta Cidadã- OCDC, Werner – CPM Butantã, Tissi – CAPS Butantã, Martha –
educadora da USP, Pedro Guasco – coord. de Cultura, Regina – CPM Butantã, Silvio –
candidato ao CT rio pequeno e FoCA-BT, Nadir – CR SANS e CPM Butantã, Camila – col.
Haphirma e CPM Bt, Michelle – col. Haphirma, Simone – Eq. Diagonal do real parque,
Erika – ETEC CEPAM e CPM-Bt, Aída – Clínica Escola, Viviana – GT Mobilidade-RB.
PAUTA
9h00: Apresentação dos participantes;
9h30: Agenda da Rede Butantã, levantamento de dados e opiniões, debate, decisão
sobre: horário das reuniões regulares (proposta do GT Organização RB - Reuniões
alternando período da manhã e noite); Seminários temáticos em horários especiais
que facilitem a participação do maior número de pessoas - escolhas de temas e
montagem de agenda;
10h15: Questões gerais de funcionamento da Rede Butantã: 1. Construção de Carta de
Princípios; 2. Relação Rede Butantã - Conselhos Regionais; 3. Retomada de texto com
regras de funcionamento da Rede Butantã; 4. Grupos de trabalho RB.
11h00: Informes.
11h30: Encaminhamentos.
Iniciamos a reunião com certo atraso.
No primeiro item de pauta, fizemos uma rodada de intervenções sobre a
organização da REDE Butantã a partir da proposta do GT que leva o mesmo nome.
Retomamos a razão que definiu as reuniões para o período da manhã. No início
os participantes da REDE vinham representando seus espaços de trabalho e por isso
fazia sentido as reuniões ocorrerem de manhã. Aos poucos esta característica foi

progressivamente mudando para uma participação mais cidadã e não tanto vinculada
às organizações sociais.
Houve diversas ponderações a favor e contra a proposta do GT organização,
quais sejam:

 Alternar as reuniões da REDE entre manhã e noite, possibilitará que
integrantes ativos da REDE, que participam virtualmente, possam
também participar presencialmente;
 Os participantes da REDE devem vir como cidadãos e não como
funcionários de seus postos de trabalho;
 As reuniões da REDE possibilitam que haja interação entre poder
público e sociedade civil. Isso é importante garantir e manter, assim
como retomar a participação das organizações sociais e movimentos
nas reuniões da REDE;
 Reuniões as quartas à noite serão dificultadas pelo calendário do
futebol, pois muitos jogos são no Morumbi e afetam a mobilidade das
pessoas da região;
 Há um perfil consolidado de participantes da REDE. Reuniões em
horários alternados criam públicos diferentes para cada reunião. Como
consolidar os encaminhamentos?
 A frequência na REDE está mais vinculada ao tema que será discutido
na pauta do que propriamente ao horário. As pessoas tendem a
participar daquilo que lhes desperta maior interesse.
Percebemos que havia uma variação frequente nos encontros da REDE.
Diferenciamos o que são reuniões temáticas, demandas territoriais e pautas comuns a
todos.
Reuniões temáticas – trata de temas específicos como saúde, moradia,
reorganização escolar.
Plenárias territoriais – trata de demandas específicas de cada território/distrito
do Butantã.

Pautas Comuns – trata de ações gerais como eleição aos diversos conselhos
(CADES, Participativo, tutelares, gestão de parques, etc), bem como para os cargos do
legislativo e executivo do município.
Após todas estas ponderações surgiram as seguintes propostas:
1. Manter as reuniões ordinárias as quartas feiras sobre os temas gerais.
2. Trimestralmente fazer plenárias territoriais, aos sábados a tarde, para
levantar as demandas específicas de cada território
3. Garantir nas plenárias territoriais uma exposição sobre o histórico e
princípios da REDE para que o público possa interagir

Nenhum comentário:

Postar um comentário